Mudanças na economia e retomada do processo de desenvolvimento


Roberto Simões (FAEMG), José Mário Schreiner (FAEG), Ricardo Laughton e João Martins (CNA) – Foto: FAEMG

A aprovação do impeachment representará o início de uma “nova era para o país, permitindo a pacificação da sociedade, adoção de mudanças na economia e das reformas estruturais necessárias para retirar o país do fundo do poço”, afirmou o presidente da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), João Martins, a milhares de produtores rurais que se concentraram na Praça Portugal, em Brasília. Martins falou a grupos de produtores de todo os estados, antes da multidão se incorporar aos demais segmentos pró-impedimento da presidente da República, na Esplanada dos Ministérios.

Martins disse ter chegado a hora verdade “para retirar do poder um Governo que jogou a economia na maior recessão da história, agravou o desemprego e não garantiu a segurança jurídica no campo, sendo omisso em relação às invasões de terras produtivas que acontecem em quase todas as regiões produtivas do país”.

Já o Vice-Presidente e coordenador de mobilização da CNA no movimento em favor da aprovação do impeachment, José Mário Schreiner, falando aos produtores concentrados na Praça Portugal, lembrou a importância “histórica deste domingo (17) quando, com a aprovação do impeachment, o país estará escrevendo uma nova página de sua história, num momento em que a sociedade brasileira vive o seu pior momento”.

Evitar o caos

Na opinião de José Mário, devido “ao verdadeiro caos instalado no país e ao completo desgoverno que assistimos angustiados já há algum tempo, não existe outra saída a não ser a aprovação, pela Câmara dos Deputados, do processo de impeachment”. O Vice-Presidente da CNA destacou existir apenas uma chance, a saída de cena do atual governo. O governo federal, disse ele, foi omisso e permitiu a incitação à violência e invasões de terras por movimentos radicais, atém mesmo em solenidade dentro do Palácio do Planalto.

O presidente da FAEMG, Roberto Simões, afirmou que a CNA e os produtores entenderam a gravidade do momento e decidiram pelo “sim” ao processo de impeachment. A agropecuária, salientou ele, tradicionalmente é o último segmento da economia a sofrer com as consequências da queda da atividade econômica: “mas o agronegócio já estava sentindo os efeitos negativos da queda do poder aquisitivo da população, e, diante dessa realidade, não existe “outro remédio que não seja a aprovação do impedimento da presidente da República”.

Na mesma linha de raciocínio se manifestou o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Paraná (FAEP), Ágide Meneguetti. Ele entende que o “impeachment é uma causa nobre, especialmente devido ao fato deste governo ter provocado, com medidas desastradas, um quadro caótico com a existência de dez milhões de desempregados, fechamento de fábricas, além da maior recessão econômica desde a década de 1920/1930, no século passado”.

Para o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Montes Claros e vice-presidente da FAEMG, Ricardo Laughton, a mobilização vai entrar pra história, e prova mais uma vez a importância da classe rural, tanto para a economia quanto para a política do país. “Mobilizamos, no Norte de Minas, cerca de 200 produtores, que deixaram o descanso semanal de lado para acompanhar, de perto, a votação que é um passo para a recuperação do nosso país”, afirma Laughton. “Nossa região, nos últimos anos, tem sofrido muito com a falta de atenção das autoridades. Durante o último ano, a FAEMG promoveu diversas ações para trazer melhoria para o nosso estado, como a necessidade de recursos orçamentários para a duplicação da BR 251 e para minimizar os efeitos da seca que assola a produção agropecuária na região, necessidades que foram discutidas com o deputado federal Zé Silva (Solidariedade)” lembra.

Trator inflável – O presidente da CNA fez questão de destacar para os agricultores presentes na manifestação pró-impeachment o gigantesco trator inflável exposto no local com 10 metros de altura, 35 metros de comprimento e 15 metros de largura, fabricado com as cores da bandeira nacional. Ao encontrar-se com lideranças rurais ao lado do trator, João Martins reafirmou sua confiança na aprovação do impeachment e aproveitou o momento para reverberar o slogan criado pela CNA, “Vamos Tirar o País da Lama” e reunificar a sociedade brasileira em torno de princípios éticos e morais.

Caravanas de produtores rurais de todos os 27 estados da Federação, lideradas pela CNA e com apoio das federações de agricultura e pecuária, dos sindicatos rurais e dos produtores em geral, com a presença de 300 ônibus, começaram a chegar à Praça Portugal por volta das 7h30 da manhã deste domingo (17). Durante toda a manhã os grupos se revezaram com palavras de ordem em apoio ao impeachment, de forma pacífica, ordeira e sem qualquer tumulto ou violência.

O movimento dos produtores rurais de Montes Claros e região também teve o apoio da Sociedade Rural de Montes Claros.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Procurar por tags