Entidades rurais se unem para discutir segurança no campo


No próximo dia 8 de maio (segunda-feira), o Sindicato dos Produtores Rurais e a Sociedade Rural de Montes Claros realizam uma reunião técnica com o tema Segurança no Campo, no Auditório Osmani Barbosa, no Parque de Exposições João Alencar Athayde. As Polícias Militar, Civil e Federal e o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) apoiam a iniciativa. Foram convidados, ainda, o Promotor José Aparecido Gomes Rodrigues, e o Juiz Fausto Geraldo Ferreira.

O evento, que é gratuito e aberto produtores em geral, tem como objetivo fomentar o debate sobre os altos índices de assaltos, furtos, a violência e a insegurança, na zona rural, que têm crescido assustadoramente. "Se não bastassem os graves prejuízos causados pelo longo período de estiagem no Norte de Minas, agora temos que conviver, de perto, com mais esse desafio para o homem do campo, que tem sido escravo da criminalidade. A nossa ideia é criar uma plataforma técnica para apresentarmos os casos ocorridos na região, as soluções e ver também o que os organismos de segurança estão fazendo", afirma o Diretor Jurídico da Sociedade Rural, Renato Alencar.

Os números exatos de roubos e furtos na região são incertos, pois a maioria dos fazendeiros não fazem boletim de ocorrência. "Podemos dizer que 90% dos casos não são divulgados. Alguns tem medo de se expor. Há produtor assaltado duas, três, quatro vezes. Tem gente desistindo do campo. Isso não pode acontecer", garante Renato, que ainda chama a atenção para outro agravante: os ladrões de animais para venda da carne. "É inacreditável, mas acontece. Tem pessoas que entram nas propriedades, matam uma ou duas cabeças de gado para vender a carne. Ou até mesmo para festas. Tem casos de animal morto com tiro. Queremos nesse evento que todos levem a sua experiência para que possamos nos organizar e cada um ajudar ao outro", descreve o advogado. A PM já informou a Sociedade Rural que pretende criar, seguindo o modelo de Paracatu, um mapa da violência para ajudar nos trabalhos. Será proposta, ainda, a criação de grupos "on line" para tratativas de segurança nas fazendas. "A ideia é estruturar algo nos moldes dos vizinhos protegidos da PM. Somente na região da Estrada da Produção, por exemplo, contamos dez produtores que foram roubados. Com uma ferramenta on-line podemos avisar os vizinhos de fazenda e ajudar a Polícia a localizar os bandidos com mais rapidez. Um alerta ao outro", explica Renato. Para o presidente da Rural, José Luiz Veloso Maia, a criminalidade com gado e produtos agropecuários em geral tem crescido exponencialmente no Norte de Minas. "Diante disso, nosso dever enquanto entidade é buscar apoiar ao Produtor, apresentando casos, discutindo diretamente com quem promove a segurança pública para que possamos seguir juntos na busca para melhoria do trabalho no campo. Estamos nos sentindo incapazes diante dos fatos ocorridos e a cidade [poder público] precisa oferecer ao produtor a devida segurança", finaliza o líder rural.

De acordo com o presidente do Sindicato Rural e vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (FAEMG), Ricardo Laughton, a busca pela segurança no campo é uma das maiores lutas da entidade. "Além de ter que enfrentar as grandes perdas dos últimos anos, o produtor rural também passou a se preocupar demais com sua integridade física e patrimonial. Estamos atentos a essas demandas, pois, como entidades oficiais de representação da classe, o Sindicato Rural e a FAEMG procuram ouvir e orientar o homem do campo, assim como levar às autoridades competentes as nossas necessidades", afirma. Serviço Segurança no Campo Data: 08/05 Horário: 8h às 12h Local: Auditório Osmani Barbosa Informações: 38 3215 1212 Taxa de inscrição: Isento

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Procurar por tags