Sistema FAEMG consegue prorrogação do prazo para vacinação contra aftosa



Após solicitação do Sistema FAEMG ao Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), foi prorrogado o prazo para vacinação contra febre aftosa. A data limite, que era 31 de maio, passou para o dia 15 de junho. O prazo para a declaração de vacinação é 25 de junho.


“Trata-se de mais uma conquista da maior importância do Sistema FAEMG para o produtor rural mineiro”, comentou o presidente Roberto Simões. Para o presidente do Sindicato Rural de Montes Claros e vice-presidente da FAEMG, Ricardo Laughton, a ação tem extrema importância, vista a situação enfrentada pelos produtores rurais nos últimos dias.


"Após a paralisação dos caminhoneiros, várias atividades ficaram prejudicadas, e o produtor rural começou a enfrentar muitas dificuldades para executar as atividades diárias. Até mesmo o lançamento das vacinas, que pode ser feito no Sindicato Rural ou diretamente no IMA, foi prejudicado, visto que algumas pessoas não possui combustível para se deslocar até as sedes das entidades", explica.


A febre aftosa é uma das enfermidades mais contagiosas, e pode causar imensas perdas econômicas. Apesar de a mortalidade ser baixa em animais adultos, nos mais jovens provoca problemas cardíacos que levam à morte. A doença atinge bovinos, ovinos, caprinos, porcos e todos ruminantes selvagens. Cavalos não são afetados pela febre aftosa.


A rapidez do contágio se dá porque a enfermidade pode ser transmitida por secreções, homens ou animais domésticos e automóveis, equipamentos que estiveram em contato com animais infectados. O ar expirado, saliva, fezes, urina, leite e sêmen também provocam a contaminação.


O Brasil conseguiu, recentemente, o selo de país livre da aftosa com vacinação. É importante, entretanto, que os produtores rurais sigam o calendário nacional de vacinação. "É preciso que o produtor adquira somente animais sadios e de origem segura", alerta Ricardo Laughton.


"Atualmente, o Brasil possui o maior rebanho comercial do mundo, e é o maior exportador de carne. Vendemos para mais de 140 países. A contaminação com a febre aftosa causaria enorme prejuízo, não só para o setor, quanto para o país de forma geral. Por isso, precisamos manter o bom trabalho na prevenção da doença", conclui.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Procurar por tags